Início Destaques Emanuel se incomoda com “silêncio ensurdecedor” da AL por troca do VLT...

Emanuel se incomoda com “silêncio ensurdecedor” da AL por troca do VLT pelo BRT

15
0

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) cobrou nesta quarta-feira (25.05) envolvimento dos segmentos da sociedade organizada e dos deputados Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) para viabilizar o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

Segundo Emanuel, a Assembleia precisa ouvir “os anseios das ruas” e revogar um projeto de lei aprovado em janeiro de 2021, que autoriza a troca do VLT pelo Ônibus de Rápido Transporte (BRT) em Cuiabá-Várzea Grande. Ele acusa os deputados de omissão mesmo após a Comissão de Viação e Transporte da Câmara Federal marcar uma vistoria às obras inacabadas e aos vagões abandonados do VLT.

“Há um silêncio ensurdecedor da Assembleia Legislativa, nunca vi isso em minha vida nos quatro mandatos meu como deputado estadual, nunca vi tamanha omissão do nosso Poder Legislativo estadual em uma ação que importa tanto a vida de milhares de pessoas (…). A Assembleia nunca deveria ter autorizado a troca do modal sem ouvir as duas cidades, foi a toque de caixa. Ela precisa corrigir esse erro histórico revogando essa lei, estou estudando revogar essa lei pela falta de legitimidade”, declarou.

O prefeito chamou atenção da Câmara de Cuiabá e de Várzea Grande e sugeriu ao prefeito, Kalil Baracat (MDB) que avalie qual modal será melhor para cidade independente de sua parceria política com o governador Mauro Mendes (União), que trabalha para viabilizar o BRT.

“As Câmara municipais têm que ser mais participativas ainda, a de Cuiabá está sendo, mas eu vou provocar mais ainda. Várzea Grande precisa entrar no debate e tem que deixar de lado essa história de governador e prefeito. É o que há de melhor, é o BRT ou VLT, é isso que temos que discutir”, destacou.

Emanuel lamentou que o debate entre VLT e BRT esteja contaminado por sua “briga” com o governador. Ele garantiu que sua briga é por uma causa e também avaliou que Mendes foi ingênuo quando supostamente tentou vender os vagões do VLT.

“Parece que quem defende o VLT vai ficar do lado do Emanuel – que é contra o governador – não é isso! Esqueça essa briga. Eu vou pedir aos vereadores da Câmara de Cuiabá, minha base, convidar o governador para fazer uma visita a Central de Operações do VLT em Várzea Grande. Ele vai poder ver se está enferrujado mesmo”, encerrou.

Fonte: Vgn Notícias