Início Esportes Vasco lançará modelo da camisa LGBTQIA+ de cor preta

Vasco lançará modelo da camisa LGBTQIA+ de cor preta

6
0

O último Dia do Orgulho Gay, celebrado anualmente em 28 de junho, foi histórico em São Januário. Na véspera da data, o Vasco fez uma série de ações e lançou uma camisa alusiva ao movimento LGBTQIA+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais, Queer, Intersexo, Assexual e +). E as homenagens e o apoio vascaíno não pararam por aí. Em agosto, o clube lançará o modelo preto da camisa LGBTQIA+.

Com previsão de chegada às lojas para a primeira quinzena de agosto, o uniforme de cor preta muito provavelmente será usado pela equipe de futebol feminino do Vasco. Embora ainda não haja uma data definida no calendário, o clube lançará luz às meninas com o objetivo de dar visibilidade à modalidade, que agora é autossustentável dentro de São Januário após a prorrogação do contrato de parceria com a Ambev.

É uma das bandeiras da diretoria liderada por Jorge Salgado o apoio ao futebol feminino, e a ideia é que as jogadoras tenham maior relevância interna e se tornem ativos em campanhas do clube. Ou seja, caso não haja data no calendário do time próxima ao lançamento, as meninas provavelmente serão as modelos de lançamento da camisa preta LGBTQIA+ do Vasco.

Ainda com design indefinido, o Vasco pretende lançar uma camisa praticamente igual à que estreou em 27 de junho, na vitória por 2 a 1 sobre o Brusque, em São Januário. Seria um uniforme predominantemente preto com detalhes alusivos ao arco-íris dentro da faixa diagonal e na gola.

O preço é o mesmo: R$ 269,90. Aliás, após estrondoso sucesso de vendas em junho, o segundo lote de camisas do Vasco LGBTQIA+ da cor branca está previsto para chegar às lojas também em agosto.

Se o uniforme branco já foi um sucesso imediato por todas as ações realizadas pelo Vasco em 27 de junho, as homenagens do clube foram validadas de vez em histórico gesto de Cano, que ergueu a bandeira em apoio à causa LGBTQIA+ ao comemorar o gol dele na vitória por 2 a 1 contra o Brusque.

Dias depois, em entrevista ao diário argentino “Olé”, Cano tratou a marcante manifestação como uma mensagem de “respeito, amor e paz”

O bom dessa comemoração é que não foi planejada. Foi algo do momento e isso a torna mais bonita. Quando fiz o gol, pensei em correr até a bandeira, tirá-la e levantá-la, dando uma mensagem de respeito, paz e amor. De que somos todos iguais e que cada um pode pensar livremente o que quiser. Essa é a mensagem que queria transmitir a todo o mundo. Repercutiu muito em diversos países e o mais bonito é que foi natural e sincero, nada planejado – disse Cano

Imagem: Rafael Ribeiro

Deixe uma resposta