Início Cidades Em Cuiabá, devotos lutam para concluir igreja em homenagem à Nossa Senhora...

Em Cuiabá, devotos lutam para concluir igreja em homenagem à Nossa Senhora Aparecida

124
0

Powered by WP Bannerize

Fiéis da Comunidade Nossa Senhora Aparecida, no bairro Jardim Vitória, em Cuiabá, lutam há mais de 20 anos para concluir as obras da igreja em homenagem à padroeira do Brasil. E não é qualquer homenagem. O formato da construção é inspirado no manto da Mãe Santa.

Clarice Aparecida da Silva Perussi, 58, vice-coordenadora e uma das fundadoras da comunidade, conta que o projeto original foi idealizado no início dos anos 2000, por um engenheiro civil que acompanha a execução dos trabalhos até hoje.

“A gente achou lindo [o desenha]. Quando olhamos, ficamos doidas. Mas não achamos que teríamos tanto trabalho”, conta em meio a risadas. “2002 começou a subir [a construção]. A cada ano a gente estava mexendo”.

Segundo Clarice, de início foram investidos aproximadamente R$ 2 mil para dar início às obras. “Naquela época era bastante dinheiro”.

A quantia saiu do bolso dos próprios moradores, que se uniram para “colocar a mão na massa”, literalmente, e auxiliaram também no alicerçamento dos primeiros tijolos de alvenaria que deram forma à igreja. “Nós conseguimos, pelo menos, entre 5 e 6 mil tijolos. Isso só pedindo. A gente lutou bastante”.

Ao longo desses anos, ao passo que as obras avançavam, o local começou a receber os fiéis. A partir daí, as missas e festejos passaram a ser celebrados na igreja, mesmo com as obras inacabadas.

Atualmente, o local comporta aproximadamente 500 pessoas. A obra em si está longe de terminar. Ainda falta reboco, piso, forro, acabamento de instalação elétrica entre outros reparos. Porém, nada disso é empecilho à adoração dos devotos de Nossa Senhora.

Clarice Aparecida, contudo, reforça que de nada adianta uma construção imponente se o mais importante não estiver presente: os fiéis. “O importante é ter união. União e comunhão”. “Estamos construindo um templo grande, mas se não tiver fiéis, como é que a gente fica?”.

O seminarista Lucas Lamancusa Pereira, 29, conta que trabalha há um ano e dois meses como voluntário na comunidade católica e se diz impressionado com o poder de mobilização dos devotos de Nossa Senhora para ajudar os moradores.

“É bonito ver que eles estão preocupados com o povo”, diz. “Eu vi testemunhos belíssimos aqui de pessoas que não tinham dinheiro para comprar o pãozinho, o café, e a comunidade interrompeu [as obras] para ajudar aquela família”.

“Eles estão construindo aos poucos, há 20 anos. Vai demorar mais 10 para terminar? Não sabemos. Espero que não, mas o mais importante é o tempo inteiro”, destaca. “Eles têm essa dimensão muito forte aqui. Eles já são igreja, eles sabem o que é ser igreja. Isso é o mais importante”.

Bingo

Neste sábado (15), às 18h, acontece o bingo com premiações diversas. A celebração retorna após dois anos parada devido à pandemia de covid-19. O objetivo é arrecadar fundos para dar continuidades às obras.

Fonte: Gazeta Digital

Powered by WP Bannerize