Início Destaques Vigilante é rendido, agredido e tem arma colocada na boca

Vigilante é rendido, agredido e tem arma colocada na boca

146
0

Powered by WP Bannerize

Dois criminosos envolvidos em um roubo ocorrido na madrugada de sexta-feira (07.10) em uma empresa de engenharia em Várzea Grande foram presos em flagrante pela Polícia Civil, poucas horas após o crime, em ação realizada pela equipe da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos do município (Derf-VG).

As investigações iniciaram logo após a equipe da Derf ser acionada sobre o roubo, em que aproximadamente cinco homens armados renderam o vigilante da empresa para entrar no local. No roubo, os assaltantes subtraíram grande valor em dinheiro, notebooks, além de vários materiais de construção.

Durante todo o tempo em que permaneceram na empresa, os criminosos agrediram o vigilante de 62 anos com tapas, além de torturar e fazer diversas ameaças, chegando a colocar a arma de fogo dentro da boca da vítima.

Nas diligências para apurar os fatos, os policiais da Derf-VG conseguiram identificar um dos suspeitos envolvidos no crime, que no momento do roubo estava usando uniforme do gari. O suspeito possui passagens anteriores por tráfico de drogas e era monitorado por tornozeleira eletrônica.

Diante da informações, a equipe da Derf-VG foi até a residência do suspeito, que no momento da abordagem tentou empreender fuga, mas acabou detido. Questionado, ele confessou a participação no roubo e disse que parte dos objetos foi vendida, e outra parte estava em posse de um dos seus comparsas.

Em continuidade as diligências, os policiais seguiram até a casa do segundo suspeito, onde apreenderam diversos materiais roubados da empresa, além de duas armas de fogo, tipo revólver calibre 22, munições e um simulacro de pistola. Um dos notebooks subtraídos também foi recuperado.

Diante dos fatos, os dois suspeitos foram conduzidos à Derf-VG, onde após serem interrogados pela delegada Elaine Fernandes de Souza, foram autuados em flagrante pelo crime de roubo majorado pelo concurso de pessoas e emprego de arma de fogo.

“É um crime extremamente grave, que deixou a vítima muito abalada em decorrência das agressões e torturada psicológica praticada pelos criminosos”, disse a delegada.

As investigações seguem em andamento para identificar e prender os outros envolvidos no crime.

Fonte: Mídia News

Powered by WP Bannerize